quarta-feira, janeiro 23, 2013

Rendição

 

Tá bom, eu me rendo. Você venceu. Pra quê resistir aos seus encantos? Eu que venho fazendo isso há tantos anos, agora não vou mais resistir. Tô entregando o jogo. Batalha encerrada.

(Ele abre os braços. Ela aceita o abraço.)

O que você quer de mim afinal?, pergunta ela, se desvencilhando do abraço de urso.

(Ele finge que não quer falar, colocando o indicador sobre a boca. Ela sorri, olhando para ele de soslaio.)

Você deve me achar uma idiota!

(Ele balança a cabeça, negando a afirmação, com cara de quem já está cansando da conversa fiada.)

Onde vamos chegar com isso?

 (Ainda sem falar, ele chega bem perto dela, acaricia seus cabelos, encosta seu rosto no rosto dela... e responde.)

Eu não sei. Só sei que é tudo o que eu mais quero na vida.

(Ela, enfim, se rende.)


Um comentário:

Poupée Amélie™ disse...

rendição: um risco, um bálsamo.