domingo, dezembro 07, 2008

Andar de avião... e chegar no Rio na hora do rush!

Sexta-feira, ligo para a motorista do taxi, nada dela atender. Pedimos ajuda a menina do sítio e ela consegue confirmar nosso taxi para as 13:30.

A viagem do sítio até o aeroporto é longa. Chegamos em Congonhas às 15:00, bem na hora do check-in para o nosso vôo, que é às 15:30. O rapaz da Gol nos tira da fila. Minha cabeça está começando a doer, já que eu saí do sítio sem almoçar, apenas com umas esfirras de 11:00 da manhã na barriga, literalmente digeridas.

Fazemos o check-in e entramos na sala de embarque em tempo. Damos de cara com a Simone, a cantora, maaaaaggggrrrrraaaa! Nem dá pra reconhecer (mentira, eu sempre reconheço todo mundo, mesmo por trás de um óculos de sol branco, como foi o caso da Ana Maria Braga da outra vez)...

Quando finalmente somos chamadas à embarcar, são 15:45, e a promessa é que o vôo decola às 16:00. Você não acreditou nisso, né? É vôo da Gol... que agora é Gol-Varig.

A primeira surpresa são as "aerovelhas". Logo a Gol que tinha o maior preconceito com comissária passadinha, agora está tendo que engolir as "aerovelhas" da Varig.

Ficamos esperando pra decolar. Sabe quanto? Uma hora e meia. Sabe que horas eu cheguei no Rio? Às 18:00, logo o horário que eu estava tentando evitar, para não pegar o rush da Avenida Presidente Vargas.

Pois bem, pensa que acabou? Na-na-ni-na-não! Chegando na fila da cooperativa de taxis amarelinhos do Santos Dummont, vi que ela era enorme, mas estava andando bem.

Na minha frente, um casal mais velho, que parece estar curtindo a vida e a terceira idade, informa ao cara que organiza a fila que vão para Ipanema. São prontamente atendidos. Na minha vez, o cara pergunta:

- Vai pra onde?

E eu, já com medo da cara feia e com muita dor de cabeça, respondo: - Tijuca.

Dois taxis passam e o cara diz pros motoristas: - Vaza!

Como assim, "Vaza"? Eu tô pagaaaaaano, como diz a Lade Kate. No terceiro, eu pergunto:

- Nesse eu vou?

E ele responde: - Nesse a senhora vai.

Era um taxi caindo aos pedaços, todo sujo e velhinho. Eu estava desesperada para chegar em casa, então fui. Não aguentei, dedurei o cara da fila pro taxista. Ele ficou tão p***, que me trouxe a Tijuca em 20 minutos, mesmo com todo o engarrafamento da Pres. Vargas.

Então, malandro, quem é que riu por último? Humpf! Eu, eu, eu, o maluco si f***

2 comentários:

PRG disse...

mas as aerovelhas da Varig resolvem qualquer parada no avião

Rebecca Leão disse...

Só que são grossas e sem paciência !