sábado, maio 01, 2010

Arrumando a mala

Meus queridos, cá estou eu fazendo o último post desta viagem - acredito! Amanhã, já estarei rumando de volta à terrinha, feliz e contente por poder voltar a minha dietinha de sempre.

Acho que aqui na terra dos grandões, eu devo ter engordado uns três quilos. Não que as roupas estejam apertadas, mas eu já começo a me sentir como eles, pesada, até no jeito de andar. Como eles comem...! E essa tal de coca-cola refil, que você paga por um copo e bebe quantos quiser? É uma loucura! A gente acaba conhecendo todos os banheiros de todos os lugares... uma tristeza! Eu bem que tentei tomar vinho, mas o efeito pra mim foi terrível: um dia inteiro de enxaqueca. É uma droga, pra quem não está acostumado...

Eu me esbaldei nessa viagem. Num dado momento, desisti de fazer contas. Resolvi que só ia procurar saber no Brasil, para não me chatear. Comprei um monte de coisas, e por causa disso, tive que comprar algumas malas extras (de mão e para despachar). Mas, o grande desafio era fazer as coisas caberem na mala. eu jurava que não ia dar. Até que meu chefe começou a dar dicas: põe as coisas umas dentro das outras, as meias dentro dos sapatos, e arruma uns sacos que servem para embalar as roupas a vácuo. Não é que eles funcionam mesmo? A mala ficou superarrumadinha, tudo muito protegido, bem apertadinho... Adorei! Se você não conhece, porde ver produtos semelhantes aqui.

O mais legal é que eu estou levando uma lembrancinha para cada pessoa que eu gosto. Me lembrei de muita gente, mas principalmente, me lembrei de mim, foi ótimo. Adorei me reencontrar novamente, ouvir minhas intuições, conversar comigo mesma, ler meus pensamentos... coisas que eu vinha evitando fazer. Vi como tenho que ser complacente com as pessoas, como preciso ter paciência. Vi que nem sempre a gente faz o que a gente quer, mas às vezes, coisas que a princípio não parecem prazerosas podem vir a se tornar uma grata surpresa.

Esta viagem foi a viagem dos desafios. O primeiro foi participar de um fórum organizado pela NASA em San Diego. Estar ali novamente, com todas aquelas pessoas, de empresas tão importantes, conversando de igual para igual, é ainda algo inexplicável pra mim. O evento inclui o almoço e o jantar, e então a gente descobre o quão importantes são aquelas aulinhas de inglês nas quais o professor dá dicas sobre "small talk" (ou papo coloquial). Há coisas que não se pode mesmo dizer quando não se conhece a cultura do outro. E a gente só aprende depois que diz, ou quando vê alguém dizer e percebe a gafe.

Depois, vindo para Houston, o desafio foi outro. Fazer o curso de dois dias, com inúmeros momentos de interação, onde você se vê obrigado a participar e a interagir com outras pessoas sobre assuntos que você não domina (no meu caso, Supply Chain Management), foi outra tarefa árdua. Mas, eu gostei, conheci pessoas interessantes e encontrei gente mais tímida do que eu para falar em outra língua.

E por fim, a Conferência, na qual eu seria palestrante. Primeira palestra internacional, e você está lá, escalado para falar 1 hora. Na hora H, a sala começou a encher de gente e quando eu vi, estavam todos os lugares ocupados, as cadeiras extras ocupadas, gente sentada sobre pequenos armários (pode?) e muita gente em pé. Mas, peraí?, alguém contou pra eles qual é a nossa empresa? Contaram. E eles queriam saber como havíamos conseguido continuar investindo apesar da grande crise econômica pela qual todos nós passamos nestes últimos dois anos. Bom, a palestra foi legal, a estratégia que adotamos, eu e meu chefe, foi boa, e no final, vários vieram nos parabenizar pela coragem em fazer uma palestra numa língua que não é a nossa. Quem sabe no futuro eles não virão nos parabenizar apenas pela qualidade do que apresentarmos, heim?

O fato é que estamos quase no aeroporto. Tudo arrumado, espaço de sobra na mala, acho que amanhã ainda vou comprar mais uma coisinha. Como disseram os brasileiros do evento, nosso esporte favorito, depois do futebol, é o shopping. Inevitavelmente, acho que vou pagar pelo excesso. Fazer o quê, né?

Ah, obrigada a todos que me desejaram boa sorte. Rolou! Foi bom! Mas, já deu! Me esperem aí... que eu tô chegando! Eu tô voltando!

2 comentários:

PRG disse...

Muito boa a embalagem à vácuo, as meninas daqui de casa agradecem penhoradas.

Bia Prado disse...

Adorei esse texto! Pelo seu sucesso, pela sua empolgação, por ter pensado em vc, por ser tão competente, por tudo!
Quero outro almoço pra saber de tudo!!!!
Beijo