domingo, maio 16, 2010

Avatar

Ontem, finalmente, vi o filme mais comentado do ano: Avatar, do James Cameron. Não se pode negar que o filme tem a assinatura dele. Não tive oportunidade de ver o filme no cinema em 3D, e quando decidi que era hora, só havia exibição numa sala na Baixada Fluminense (ou seja, um pouco longe da minha casa). Isso dá pra vocês uma idéia do tempo que eu demorei para me animar a vê-lo.

Nesta viagem aos EUA, comprei o dvd, ainda não disponível no Brasil. O vendedor da loja até me perguntou porque eu não o levaria em blue-ray, e foi bastante difícil convencê-lo de que não tenho interesse nessa nova tecnologia, simplesmente porque não quero, e não acredito na sua perenidade. Quero esperar pra ver.

Mas, voltando a filme, a gente realmente não sente o tempo passar, apesar do tamanho do filme, já que a história é muito bem contada. Dá pra ver vários ingredientes dos filmes do James Cameron ("O exterminador do futuro", "Alien" etc), mas essas semelhanças são irrelevantes. A história é uma crítica importante ao comportamento dos EUA. Eles, que estão sempre interessados nas riquezas dos outros países e que as tratam como se elas pudessem ser tomadas à força. E que não gostam (ou não admitem) de nenhum tipo de retaliação, classificando todas as ações desse tipo como "atos terroristas". Enfim, o filme se assemelha muito a essa história que estamos acompanhando em tempo real do petróleo no Oriente Médio ("o que se encontra embaixo da grande árvore").

A imagem final da floresta me lembrou muito o que vi quando sobrevoei a Floresta Amazônica, e talvez isso justifique o interesse do James Cameron em participar de causas ecológicas, inclusive no Brasil.


Mas, o que me encantou no filme foi o fato dele ser um filme espiritual, que fala da encarnação e da reencarnação nas entrelinhas, nos nossos antepassados e em como eles são importantes para o ciclo da vida... Eu ouvi vários amigos muito católicos se dizerem encantados com o filme e, agora, estou encantada com o fato deles não terem tido nenhum preconceito. Aliás, talvez eles não tenham tido preconceito por terem classificado o filme como ficção científica.

Enfim, é um filme que merece ser visto, não só para que você não fique fora das conversas no escritório, mas porque o Cameron já está preparando a parte 2...

2 comentários:

Amélie™ disse...

Rebecca,
Tem filmes que não tenho vontade nenhuma de ver. Não gosto muito de ficção, filmes como: Senhor dos Anéis, Homem Aranha, Avatar e tal. Mas como você disse, esse é o filme do momento. Quase levou o Oscar e os comentários estão em alta. Vou vê-lo, apesar da resistência! Rs!
BjO*

Luis Paulo disse...

Estou em São Paulo esta semana e fui à Fenac ontem à noite. Ao lado de uma super-TV Samsung 3D (que luxo!) havia uma série de TVs LCD ENORMES conectadas a um DVD e passando o filme Avatar. Um espetáculo único: uns 20 aparelhos mostrando o filme simultaneamente, ao longo de quase toda a galeria.
Além da beleza plástica, o filme tem essa mensagem que nos chama à consciência da globalidade, da nossa integração umbilical com a Natureza, que deveria ser respeitada pelo Homem.
E a mensagem espiritual quase oculta é para mim uma proposta sutil para que pensemos seriamente no quão obsoletos são certos dogmas religiosos, que nos afastam do conhecimento mais profundo.
Adorei o seu comentário. A propósito: o DVD está à venda aqui por R$ 39.00.