domingo, outubro 05, 2008

Santinhos

Hoje, quando eu cheguei para votar no Club Municipal, na Tijuca, vi que havia muita gente distribuindo santinhos em frente aos pontos de votação, andando com bandeiras, passando com carros de som, em plena votação, o que é proibido por lei.

No momento em que assinava o livro de votação, vi que a polícia chegou e levou presa metade da galera infratora. Tá certo, eles estão fazendo um dinheirinho, quem deveria ir preso era o candidato, vocês vão dizer! Eu não concordo, não dá para esse povo ser conivente com tudo o tempo todo, todo o tempo.

Eles aceitam o gato-net, aceitam a luz puxada do poste, aceitam o telefone roubado e nós que pagamos por tudo isso. O cara um belo dia decide que não vai mais pagar por nada, que vai usufruir de tudo às custas dos otários, e fica tudo por isso mesmo (eu não gosto de fazer papael de otário!).

Chegando em casa, eu vi um episódio do Cilada, do Bruno Mazeo, no qual ele interpreta um personagem que, puto da vida com o distribuidor de propaganda na rua, começa a distribuir os
panfletos (era de uma lavanderia) e diz a todo mundo que não use os seus serviços, pois eles são péssimos.

Eu confesso que já tive muita vontade de fazer isso.

Neste período pré-eleição, andei pagando umas broncas na rua, dizendo aos caras que eles estavam sujando tudo, disse que não era obrigada a aceitar aquela porcaria, que eles eram um lixo... enfim, a troco de nada!

Mas, alguém tem que fazer alguma coisa, nem que seja ao menos se indignar!

Um comentário:

PRG disse...

Pior: quando alguém corta o gato-net, a luz puxada do poste eles reclamam pelos "direitos" deles e querem enfrentar quem cumpre a lei.
Precisamos urgente de linha-dura para apenas cumprir a lei.