sábado, janeiro 03, 2009

Teatro [2]: Beatles num céu de diamantes

Por indicação de um amigo, resolvemos ver esta peça, antes que ela saísse de cartaz. Fomos para o teatro com a difícil missão de agradar ao maridão, que diz não gostar de teatro. Ele foi contrariado e, por isso, o espetáculo tinha que ser realmente bom.

O último musical que vimos foi em Londres, por indicação deste mesmo amigo, que estava conosco, e que nos incentivou a ver Rei Leão. Amamos, é divino.

Este musical era sobre Beatles. Meu marido, um grande fã dos Rolling Stones, não viu muita graça, mas como fui eu que comprei os ingressos, ele foi.

Eu, que sempre amei os Beatles, estava empolgadíssima, mas confesso que ao pegar o programa, no teatro, fiquei um pouco decepcionada. Tratava-se de uma peça com um fio condutor tênue, onde as músicas construíam os diálogos. Eu pensei: onde será que isso vai dar?

E aí, deu no que deu. Beatles num céu de diamantes é realmente lindíssima. Um musical pra ficar na memória. Causa na gente uma sensação estranha, como se todas aquelas músicas tivessem sido escritas pra estar ali, encenadas por aqueles atores/cantores. Mérito dos roteiristas, da direção e dos arranjadores das músicas, além dos músicos e cantores, é claro. Tudo simples e muito bonito.

Alguns, já conhecidos, não decepcionam, como a Gottsha e a Kacau Gomes, esta última, com uma voz muito bonita. Mas, a alemazinha Tatih Köhler é excepcional. Ela canta as músicas mais bonitas, mais tocantes, aquelas que mais me emocionaram.

Os meninos também cantam muito bem, dão um show mesmo, e a gente se arrepia de tal maneira que, quando vê, está tirando o lencinho de papel de dentro da bolsa pra secar as lágrimas.

Tivemos, eu e meu marido, a mesma sensação, de que passamos a entender melhor as músicas dos Beatles, com letras muito profundas por sinal, ali, naquele contexto. Já havíamos ouvido várias delas muitas vezes, outras nem tanto, outras sabíamos de cór, mas foi incrível perceber o quanto elas se encaixam, e sentir que talvez aquelas músicas todas, compostas em épocas diferentes, por membros diferentes do grupo, talvez tivessem vindo ao mundo para dialogar umas com as outras e, quem sabe, formar uma obra que só pode ser entendida quando lida e interpretada assim, em conjunto.

A cena mais bonita pra mim é quando a Kacau e o Raul cantam juntos Yesterday e Let it Be, como se a segunda música fosse a resposta pra primeira. Veja só como as músicas são complementares...





Beatles num céu de diamantes foi uma grata surpresa, que nos deixou felizes, nos deu contentamento e a certeza de que all we need is love, love, love is all we need, com muita bolha de sabão.

2 comentários:

PRG disse...

Consegui uma releitura dos Beatles em forma de tango..
Fantástica

Lady Shady disse...

Legal o seu Blog!!!
Vejo que gosta de teatro então tomo a liberdade de recomendar uma comédia maravilhosa que essa semana entrou em cartaz no Teatro Barra Square: "Minha mãe é uma peça",vc já deve ter ouvido falar se é que já não assistiu. Com certeza vai agradar seu maridão tb(todo mundo que tem mãe,tia ou avó não tem como não gostar,hehehe)
Obrigada por ter visitado meu blog safado!